Descubra porquê a tecnologia te entende melhor que você mesmo

Descubra porquê a tecnologia te entende melhor que você mesmo

 Você recentemente já deve ter percebido momentos dos quais você está navegando pelo feed de uma rede social qualquer e se depara com um anúncio relativo exatamente ao produto que estava pensando em comprar ou um serviço que há muito procura realizar. Alguns também acusam acontecimentos mais paranormais: se deparam com um produto logo após uma conversa sobre o mesmo numa roda de amigos.

Essas coisas também acontecem comigo, certa vez, enquanto eu falava no trabalho sobre o livro A Divina Comédia de Dante Alighieri, eu fui para o computador e instantaneamente apareceu um anúncio para comprar este mesmo livro.

A linguagem da internet

O modo como as tecnologias e seus algoritmos entendem o comportamento humano e podem influenciá-lo tem sido um debate muito interessante, mas, para entrar nele, primeiro vamos definir o que é um algoritmo – algoritmo é uma instrução de passos que o computador executa de forma religiosa e exatamente como ele foi escrito – e os computadores têm a habilidade de executar centenas de milhares destes algoritmos bilhões de vezes por segundo e esta execução sistemática dá a eles a habilidade de operar com uma quantidade gigantesca de informações e dados.

Pensando nisso, podemos lembrar qual é o maior ativo. O que nós, por meio de redes sociais e dispositivos tecnológicos, mais geramos enquanto os estamos utilizando no dia-a-dia? Sim, dados e informações: onde nós mais damos “curtir”, quais assuntos nós mais apoiamos, quais pessoas seguimos e etc.

 Como os algoritmos têm a capacidade de realizar a análise desta quantidade gigantesca de informações em segundos, eles podem dizer com muita velocidade quais coisas estão sendo a tendência de comportamento tanto globalmente, quanto em países, estados, cidades, bairros e também para você. Com isso, eles podem desenvolver uma propaganda dessa tendência especialmente direcionada para certo público.

Leia também: Os influenciadores

Cada pessoa um resultado!

Uma vez eu fui na casa de uma amiga, abri o Netflix dela para escolher o que poderíamos assistir e eu não me encontrava em tal – estava completamente perdido – era outro serviço completamente diferente do meu. Isso acontece porque o Netflix otimiza a experiência de cada pessoa na plataforma e o conteúdo é pessoalmente direcionado.

Isso acontece também em outros serviços, como o Google. Você pode pesquisar uma coisa no Google onde está logado e no mesmo serviço onde está logado um amigo seu e obter resultados completamente diferentes para a mesma pesquisa. Ele faz isso para trazer coisas que realmente vão te interessar, isso ocorre também no YouTube, Instagram, Facebook e assim por diante. Tudo por um simples motivo: estas plataformas querem te manter o maior tempo possível nelas, e nada melhor do que isso te oferecendo coisas que você irá gostar, baseadas no seu histórico de uso.

Estes algoritmos sabem onde você vai por meio dos dados do Uber, ou Google Maps, por exemplo, sabem se você gosta mais de alguém da sua rede social para te mostrar mais coisas sobre essa pessoa, sabem sua sexualidade, sabe sobre suas preferências sexuais e elas sabem disso porque às fornece de bom grado estas informações, afinal se você não for honesto nas suas pesquisas e no seu uso da rede, você não consegue a informação que pretende. É assim que estes algoritmos podem ser utilizados para moldar opiniões políticas e tendências. Isso significa que você deveria ter medo de usar a internet? Não, se usar de forma consciente. 

Como usar as tecnologias de forma consciente ?

O que significa usar de forma consciente as tecnologias? Basicamente é saber que a sua opinião está sendo influenciada o tempo todo pelas plataformas: se você vê todo mundo usando um determinado produto, se você vê vários vídeos no YouTube falando de um produto, se você lê muitos conteúdos sobre um determinado assunto ou tem a sensação que tem muita gente falando sobre  algo nas suas redes sociais;  tenha consciência de que você está em uma bolha virtual – estas redes estão fazendo isso baseado e seus usos passados e tentando te oferecer porque sabem a sua frequência de procura por aquele assunto é alta e com isso querem te manter pelo maior tempo possível na plataforma. Alguns produtos que te oferecerem em alguns momentos será realmente o que você precisava naquele momento, mas nem sempre se deixe cair por isso.

Além de ter consciência de que você está tendo uma visão moldada pelas plataformas, é bastante importante “curtir e seguir” conteúdos de pessoas que tenham uma visão completamente diferente da sua, e consumi-lo às vezes! Assim, além de exercitar a sua habilidade crítica, você poderá moldar o algoritmo para que ele seja mais democrático, afinal, apesar de não ser pessoalmente um apreciador de pautas identitárias, de algumas coisas não tem como fugir – no mundo todo, os programadores ainda são, em sua maioria homens, brancos e nascidos em famílias com rendas relevantes.

Ou você nunca se perguntou do porquê toda assistente virtual como Siri, Cortana e Alexa são mulheres? 

Fontes: 

Livro: Artificial Intelligence: A Modern Approach – (Peter Norvig e Stuart Russell)

Livro: Artificial Intelligence – (Rich, Elaine, Knight, Kevin)

Artigo: Facebook can’t hide behind algorithms

(https://www.bbc.com/news/technology-41358078)


Video: Why Are So Many Digital Assistants Programmed to be Female? (https://www.youtube.com/watch?v=mWSsB5o6h9E)

João Manenti

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.